Bolsistas do Bolshoi visitam Defensoria Pública

07/02/2018     Marconni Lima Foto: Ângela Ferry



Dando continuidade ao processo de permanência dos estudantes piauienses que são bolsistas do curso de dança clássica da Escola Bolshoi em Joinville, aconteceu na manhã desta quarta, 07, uma visita dos alunos em companhia de seus familiares ao Núcleo Especializado da Infância e da Juventude na 1ª e 2ª Defensoria Pública da Infância e Juventude, localizada à Av. João XXIII, 853. O encontro tratou sobre o desenvolvimento dos bolsistas nas suas formações.



Ao todo, 7 estudantes participaram do encontro, 3 da SEMEC e 4 da SEDUC. Na oportunidade a defensora conversou com os bolsistas sobre o desenvolvimento de cada um, informando sobre as mudanças de mãe social, que acontecem de dois em dois anos, já que a mãe social fica na casa social durante este tempo.



De acordo com a Técnica da Gerência de Inclusão e Diversidade da Seduc, Amparo Veloso, os defensores orientam e acompanham a abertura do processo e os pais e responsáveis assinam os documentos passando a guarda para a mãe social. "Eles (os defensores), acompanham tudo que acontece com os estudantes, e isso é feito desde a abertura do processo legal, na Defensoria Pública", comenta a técnica.


Durante a reunião foi avaliado pela defensoria a rotina dos estudantes, os estudos, e a convivência deles com os pais e irmãos sociais, além de tratarem sobre a importância do papel da mãe social e ainda a grande oportunidade que eles tiveram por estarem inseridos nesse projeto.



FORMAÇÃO

A formação de bailarinos na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é muito extensa. Os alunos têm em média seis horas de estudos, entre prática, teoria e ensaios, tudo isso em cerca de oito anos de preparação. Desde 2010, os alunos aprovados para ingressar na Escola Bolshoi não pagam mensalidade, e todas as suas despesas são custeadas pela Instituição.


Para garantir todos estes benefícios e realizar o sonho de muitos estudantes de todo o país de estudar na única filial do Bolshoi fora da Rússia, os candidatos passam por uma seleção rigorosa, dividida em duas etapas.


O processo inicia com seleção feita em várias regiões do país conforme iniciativa de um órgão público, privado, escolas de danças ou instituições interessadas, no caso do Piauí, quem fica responsável por essa seleção é a Prefeitura de Teresina através da SEMEC e o Governo do Estado através da Seduc. A ideia é reduzir as despesas dos candidatos, fazendo uma "peneira" dos talentos para que depois eles participem da pré-seleção em Joinville. 


SELEÇÃO

A pré-seleção é obrigatória para candidatos de 9 a 11 anos, mas não é preciso ter conhecimento em dança. Já os bailarinos com idade entre 12 e 17 anos precisam ter conhecimento em dança para participar e são avaliados através de uma vídeo-aula, que precisa ser encaminhada pelo candidato antes dos testes presenciais, na seleção final. Nesta segunda e decisiva etapa, a avaliação dos candidatos é feita na sede do Bolshoi Brasil, em Joinville.


E para quem consegue ser aprovado, a dedicação não fica apenas por conta da dança. Para manter a bolsa de estudos do Bolshoi e continuar na instituição, o aluno precisa ter boas notas no ensino regular. 


A Escola Bolshoi é uma instituição técnico-profissionalizante e sua grade curricular é aprovada pelo Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina e pelo MEC. Desta forma, é obrigatório que o aluno esteja cursando ou tenha concluído o ensino regular para obter o diploma da Escola Bolshoi.






SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEDUC
Av. Pedro Freitas, S/N - Bloco D/F - Centro Administrativo
CEP: 64.018-900 - Teresina - PI